Se Liga na Rua! – SEMANA XVIII

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

E aí galera, como vocês estão? Vamos começar mais um Se Liga na Rua?

Essa semana vamos falar um pouquinho sobre conquista de direitos, violência e busca por conhecimento não só sobre a População em Situação de Rua, mas também sobre a População Negra. Sempre fazemos questão de lembrar que a População Negra constitui a maioria da Pop Rua em nosso país…então, a atenção deve ser redobrada.

Em Curitiba, a 5a vara da Fazenda Pública expediu uma liminar que proíbe a Prefeitura da Cidade, a Fundação de Ação Social (FAS) e a Cavo Serviços e Saneamento de recolher ou apreender os pertences de pessoas em situação de rua que não estejam em estado de abandono. A liminar também determina que todos os agentes do município que atuarem com abordagens à Pop Rua, deverão estar devidamente identificados, sob o risco de pagar uma multa de R$ 500,00 para cada descumprimento da decisão. Outro ponto importante desta liminar é a solicitação que de a Prefeitura promova políticas habitacionais como carro chefe para o desenvolvimento de políticas públicas para a População em Situação de Rua na cidade.
Para saber mais, acesse: https://ricmais.com.br/noticias/dia-a-dia/bens-pessoas-em-situacao-de-rua-nao-poderao-ser-recolhidos-curitiba/

Apesar das conquistas, a taxa de violência contra pessoas em situação de rua não para de crescer. O Ministério da Saúde publicou um Boletim Epidemiológico que analisa as notificações de violência contra População em Situação de Rua, entre os anos de 2015 e 2017. Nesse período, o país registrou 17.386 casos, sendo que o número considera apenas os casos que foram motivados pelo fato da vítima estar em situação de rua. Além disso, a maioria das vítimas eram jovens mulheres, de 15 a 24 anos, pretas ou pardas. Sobre o preconceito contra Pop Rua, o portal GGN ainda destaca que a cidade de São Paulo vem apresentando cada vez mais casos de discriminação: em outubro de 2019, os moradores do bairro da Mooca realizaram um abaixo assinado a fim de que o Centro Temporário de Acolhimento (CTA) Mooca 1 fosse fechado, com a justificativa de que a presença de pessoas em situação de rua no local era responsável pelo aumento de crimes.
Para ler a notícia completa e ter acesso ao Boletim Epidemiológico, acesse: https://jornalggn.com.br/violencia/em-3-anos-brasil-registra-173-mil-casos-de-violencia-contra-populacao-de-rua/

Agora, no que diz respeito a busca por conhecimento, o Geledés publicou uma matéria super bacana a respeito de um guia que contém dezenove fontes de informação especializada em África e africanidades, desenvolvido através de estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), publicado anteriormente na Revista “Ponto de Acesso”, do Instituto de Ciência e Informação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O levantamento foi realizado tendo como base a literatura nacional e internacional da ciência da informação, utilizando sistemas de busca para identificar sites e/ou instituições produtoras ou responsáveis por essas fontes. Outros estudiosos da área e pesquisadores africanos também forneceram informações sobre esse tipo de ferramenta. As fontes foram organizadas em quatro categorias: 1) fontes de informação social e de humanidades; 2) fontes de informação de finanças, estatística e indicadores econômicos; 3) fontes de informação para o desenvolvimento ambiental sustentável; 4) fontes de informação em saúde.
Leia a matéria completa no link: https://www.geledes.org.br/conheca-dezenove-fontes-de-informacao-seguras-sobre-africa-e-africanidades

Esta edição do Se Liga na Rua fica por aqui. Semana que vem estamos de volta com mais notícias e matérias interessantes. Enquanto isso, não fique por fora: que tal aproveitar e ficar de olho sempre que surgir uma notícia sobre a Pop Rua e aproveite para se informar e refletir sobre este panorama!? Até semana que vem!

UnB/NESTRA/CEAM/OBSERVATÓRIO DA JUVENTUDE – RESULTADO FINAL DAS INSCRIÇÕES RELATIVAS AO PROCESSO SIMPLIFICADO Nº 06/2019 PARA SELEÇÃO DE MEDIADORES/TUTORES DO CURSO DE EXTENSÃO DO PROJETO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE ENVOLVIDOS COM A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA, COM FOCO NA POPULAÇÃO NEGRA – Saúde Pop Rua.

O Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, torna público O RESULTADO FINAL do processo seletivo simplificado, edital nº 06/2019 da equipe (cadastro reserva) de mediadores/tutores para o curso de Extensão, para atuar no Projeto Saúde Pop Rua, na modalidade à distância, no âmbito do Distrito Federal. Segue relação do código de inscrição dos candidatos APROVADOS. Os candidatos aprovados serão convocados conforme demanda. ACESSE AQUI

Se Liga na Rua! – SEMANA XVII

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

Sejam bem vindas (os) a mais um Se Liga na Rua!

Voltamos a falar sobre População em Situação de Rua através de notícias e matérias que discutem políticas públicas, saúde, educação, reivindicação por direitos, pesquisas outras propostas importantes na pauta da rua, tanto no Brasil, quanto em outros países. Quando o assunto é a rua, o ano de 2020 já começou movimentado.

Na sexta-feira passada, dia 17 de janeiro, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) contou com a visita de representantes do Ministério Público da Paraíba, da Defensoria Pública Estadual e do Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR). O encontro teve o objetivo apresentar e discutir políticas públicas destinadas a População em Situação de Rua em João Pessoa. As ações previstas para 2020 são um seminário sobre o tema, a realização do censo da poprua (em parceria com a Universidade da Paraíba – UFPB), e a implantação do Comitê intersetorial de acompanhamento da execução da política pública para População em Situação de Rua. Ao site da Prefeitura de João Pessoa, o coordenador da Região Nordeste do MNPR, Vanilson Torres, afirmou: ” A reunião foi muito positiva, nos trouxeram várias ações que serão implementadas e acreditamos que haverão mais avanços. João Pessoa é uma cidade avançada, que se preocupa com as pessoas de rua. Foi uma conversa franca, de parceiros”.
Confira a notícia completa através do link: http://www.joaopessoa.pb.gov.br/sedes-e-movimento-nacional-da-populacao-de-rua-se-reunem-para-discutir-acoes/

Já em Porto Alegre, está em andamento o 2o Fórum das Resistências, sob o lema de “Democracia e Direitos dos Povos e do Planeta”. O fórum iniciou no dia 21/01 e suas atividades vão até o dia 25/01. Junto da abertura do Fórum, também ocorreu a XII Marcha Estadual pela Vida e Liberdade Religiosa, que este reivindicou unidade e resistência de vários setores sociais contra o avanço de políticas que minam os direitos de populações em situação de vulnerabilidade, e contra a ascensão da intolerância no Brasil e no mundo. Um dos movimentos sociais presentes foi justamente o MNPR. Em entrevista concedida ao Brasil de Fato, Alexandre Flores da Rocha, apoiador do movimento, declarou: ” O povo da rua não tem nenhuma política pública, está à mercê, se não é o movimento apoiar, vão ser todos entregues a igrejas pentecostais. Mesmo estando nas ruas, são cidadãos, precisam de uma política pública que dê saúde, educação e moradia, não é só jogar a margem da sociedade. […] Na rua não tem só drogado ou vagabundos, como todo mundo rotula, tem muita gente boa que a gente não sabe o que aconteceu com ela”.
Acesse a matéria na íntegra: https://www.brasildefato.com.br/2020/01/22/marcha-abre-forum-social-das-resistencias-unida-a-luta-contra-intolerancia-religiosa/

Já em Cádiz, na Espanha, um novo censo da População em Situação de Rua demonstrou que a idade média desse segmento diminuiu: o número de pessoas com 18 anos habitando as ruas cresceu exponencialmente, o que significa que a média baixou de 47,3 anos em 2017, para 43,2 em 2020. Ao mesmo tempo, estudos realizados pela Fundácion Municipal de la Mujer, perceberam uma polarização em termos de idades, ou seja, há principalmente pessoas abaixo dos 29 anos e acima dos 64 anos. Sobre esse panorama, a conselheira de Serviços Sociais, Helena Fernández, enfatizou que nos últimos anos ocorreu uma onda de menores imigrantes que atingiram a maioridade mas permaneceram nas ruas. Apesar disso, a taxa de pessoas em situação de rua espanholas e imigrantes é praticamente equivalente. Já a quantidade de mulheres também deu um salto: enquanto há uma década atrás elas representavam cerca de 5% da População em Situação de Rua, agora elas já passam a ser 15,5% do total.
Leia a matéria completa no site do Diario de Cadiz: https://www.diariodecadiz.es/cadiz/jovenes-mujeres-hogar-Cadiz_0_1428157425.html

Ficamos por aqui. Esperamos que nossa seleção de matérias tenha provocado reflexões interessantes sobre a temática da poprua! Semana que vem tem mais, até lá!

Se Liga na Rua! – SEMANA XVI

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

O Se Liga na Rua está de volta!

Mais uma quinta-feira chegou e vocês já sabem que é dia do Se Liga, não é? Hoje temos várias coisas bacanas para discutir – desde o modelo do CAPS, até pessoas em situação de rua que estão na luta para tentar conquistar não só melhores condições, mas entender o que é viver na rua, agindo como pesquisadores sociais.

Começamos com um texto muito interessante do site Rede Humaniza SUS, que tenta explicar o que é o CAPS – Centros de Atenção Psicossocial, serviço comunitário e gratuito do SUS que substitui a internação psiquiatra. O CAPS, apesar de sua importância, ainda é pouco entendido pela população de um modo geral, ainda acostumada ao antigo modelo manicomial: “Bem diferente dos antigos manicômios cercados de altos muros, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) surgiram como espaços que buscam o tratamento interdisciplinar de pessoas com transtornos mentais graves, como a depressão, bipolaridade e dependência química. Os funcionários não utilizam uniformes ou jalecos, o ambiente é tomado pelo colorido das peças produzidas nas oficinas de arte. Nesse espaço, a conversa e a troca de saberes fazem parte do dia a dia”. O tratamento no CAPS é indicado por um médico clínico geral, mas também pode ser iniciado após uma busca espontânea por parte do indivíduo, que frequenta o local após realizar análises feitas por uma equipe multiprofissional. Importante destacar também que o modelo humanizado do CAPS busca o envolvimento não apenas da pessoa que está em tratamento, mas também de sua família, oferecendo grupos de apoio terapêutico e psico-educacional, já que o vínculo entre paciente-família tem papel crucial na busca por uma segunda chance de continuar a luta.
Para conferir o texto completo (e mais uma entrevista com a terapeuta ocupacional Ana Lúcia Alves Urbanski), acesse o link: http://redehumanizasus.net/caps-um-modelo-humanizado-de-cuidar-da-saude-mental/ .

Além disso, vale o vídeo disponível no canal do YouTube Ponte Jornalismo, em que diversos pesquisadores sociais foram entrevistados e falaram um pouco sobre a População em Situação de Rua. Esses pesquisadores sociais tem uma posição importante dentro deste debate, uma vez que eles próprios foram ou ainda são pessoas em situação de rua. Luiz, um dos pesquisadores, afirma que para realizar este tipo de pesquisa, a pessoa precisa de empatia: “Em primeiro lugar, o pesquisador social precisa ter tato para mexer com o morador de rua, porque para você chegar num morador de rua você precisa se igualar a ele; é você ouvir a situação em que ele se encontra (no entanto, eu já sei, eu já passei por isso), mas o que importa para nós é o que ele tá sentindo, o que ele tá passando, o que ele tá vendo, o que ele precisa. Fazer essa pesquisa, relatar essa pesquisa, […] para que […] o comitê ou os direitos humanos possa fazer uma política justa, para que seja incluída para o bem do morador de rua, para que a situação dele melhora”.
Veja o vídeo na íntegra:

Fiquem de olho também na 325a Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde (CNS), que ocorrerá entre os dias 22 e 24 de janeiro, em Porto Alegre (RS). O encontro reunirá conselheiros e conselheiras para discutir a saúde do país e é aberto ao público. Ele também está dentro da programação do evento internacional Fórum das Resistências. Entre as pautas previstas, estão os Consultórios na Rua, o encontro com a liderança indígena Raoni Metuktire, e a discussão sobre os altos índices de violência contra as mulheres e as consequências de tais atos em suas vidas.
Para mais detalhes, acesse: http://www.susconecta.org.br/325a-reuniao-ordinaria-do-cns-acontecera-durante-forum-social-das-resistencias-em-porto-alegre/

Por último, trazemos uma matéria publicada no jornal britânico The Guardian, a respeito do despejo de mães que estavam habitando uma casa que há dois anos permanecia desocupada em Oakland, Califórnia (EUA). Segundo a reportagem, três mães foram presas, além de duas pessoas de organizações filantrópicas que tentavam prestar suporte as mulheres. Essas famílias moravam na casa desde 18 de novembro de 2019. Mesmo sabendo que não tinham condições financeiras para alugá-la, elas tinham a intenção de permanecer no local, já que a cidade enfrenta uma crise imobiliária em que cerca de 15.500 casas estão vagas, enquanto 4.71 pessoas estão desabrigadas. De fato, o estado da Califórnia apresenta um problema generalizado de propriedades vagas – cerca de 8% de todas as unidades habitacionais permanecem desocupadas. Segundo a advogada Leah Simon-Weisberg, o que ocorre é uma crise imobiliária que está sendo impulsionada por especuladores e acabou criando um mercado falso, onde as pessoas com dinheiro compram propriedades não para habitá-las, mas para vender – e pessoas da classe média não podem comprá-las.
Leia a reportagem completa em: https://www.theguardian.com/us-news/2020/jan/15/moms-4-housing-oakland-homelessness-eviction

RESULTADO FINAL DAS INSCRIÇÕES RELATIVAS AO PROCESSO SIMPLIFICADO Nº 01/2020 PARA SELEÇÃO DE MEDIADORES/TUTORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO PROJETO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE ENVOLVIDOS COM A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA, COM FOCO NA POPULAÇÃO NEGRA – Saúde Pop Rua.

O Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, torna público O RESULTADO FINAL do processo seletivo simplificado, edital nº 01/2020 da equipe (cadastro reserva) de mediadores/tutores para o curso de Especialização, para atuar no Projeto Saúde Pop Rua, na modalidade à distância, no âmbito do Distrito Federal. Segue relação do código de inscrição dos candidatos APROVADOS. Os candidatos aprovados serão convocados conforme demanda: ACESSE AQUI

Se Liga na Rua! – SEMANA XV

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

Que tal dar uma pausa no seu dia para se informar sobre o que está acontecendo com a População em Situação de Rua? O Se Liga na Rua está aqui para te ajudar com isso!

Nossa intenção, como sempre lembramos, é destacar as principais notícias, do Brasil e do mundo, sobre a População em Situação de Rua. E na edição desta semana, vamos falar da resistência diária da poprua – mesmo frente a dificuldades.

Nesta quarta-feira (08/01), foi sepultado no Povoado Lagoa Bonita, Sergipe, o corpo de Carlos Roberto Vieira da Glória, sergipano em situação de rua que faleceu, aos 39 anos, após ter cerca de 70% do corpo queimado, enquanto dormia em uma rua na Zona Leste de São Paulo. Carlos, que trabalhava como catador de material reciclável, foi encharcado com gasolina e depois ateado fogo, ocasionando uma explosão. A partir de quinta-feira, 09/01, serão realizados em São Paulo, um Ato Memorial e uma Celebração em Memória de Carlos.
Saiba mais em: https://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2020/01/08/morador-de-rua-que-teve-corpo-queimado-enquanto-dormia-na-zona-leste-de-sp-e-sepultado-em-nossa-senhora-da-gloria.ghtml
*Para mais informações sobre os atos, veja os cartazes em anexo.

Já na capital de Roraima, Boa Vista, o número de venezuelanos vivendo em prédios abandonados já passa dos 3 mil. A Secretaria de Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), divulgou que esses imigrantes ocupam 11 prédios públicos e privados da cidade, além de haver cerca de 6,2 mil venezuelanos vivendo em abrigos oficiais do estado, e 25,3 mil que foram descolados para outros estados do Brasil. O governo, porém, estuda a criação de um Comitê Estadual, que visa desocupar esses espaços ocupados – e, consequentemente, retirar os imigrantes.
Leia a notícia completa em: https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2020/01/08/passa-de-3-mil-o-numero-de-venezuelanos-vivendo-em-predios-abandonados-em-boa-vista.ghtml

Em meio a tudo isso, ressaltamos que o Projeto Saúde Pop Rua, do Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, está com o Edital 05/2019 – Curso de Extensão “Educação Popular para População em Situação de Rua” aberto para inscrições. São 600 vagas para todos os níveis de escolaridade.
O Curso é ofertado pela Universidade de Brasília – UnB e a inscrição pode ser feita através do site do projeto: https://projetosaudepoprua.org/

Para mais, o Edital Resistência – Povos tradicionais, minorias sociais e direitos humanos etc., também está aberto até o dia 28 de fevereiro de 2020. O edital é promovido pelo Fundo Brasil, que apoiará grupos, coletivos e organizações da sociedade civil com iniciativas de enfrentamento aos retrocessos no campo dos direitos humanos. Para concorrer ao edital, as organizações, grupos ou coletivos proponentes de projetos devem ter receita anual de, no máximo, R$ 700 mil. Cada organização, grupo ou coletivo poderá apresentar apenas um projeto.
Saiba mais através do link: https://www.fundobrasil.org.br/fundo-brasil-vai-doar-ate-r-800-mil-para-impulsionar-defesa-de-direitos-pelo-pais/

Ficamos por aqui! Desejamos a todas e todos que aproveitem o resto da semana, mas que também continuem a seguir em frente com nossa luta diária! Até semana que vem!

ACESSE AQUI ACESSE AQUI

ADITIVO AO EDITAL UnB/CEAM/NESTRA/OBSERVATÓRIO DA JUVENTUDE N°06/2019. PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES PARA A SELEÇÃO DE MEDIADORES/TUTORES, CADASTRO RESERVA DO PROJETO SAÚDE POP RUA.

O Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, torna pública a prorrogação do processo seletivo simplificado da equipe (cadastro reserva) de mediadores/tutores para o curso de extensão, para atuar no Projeto Saúde Pop Rua, na modalidade à distância, no âmbito do Distrito Federal. 

ITENS RELATIVOS A SELEÇÃO DE MEDIADORES/TUTORES REVISTO NO EDITAL: 

Item 1: Inscrições 

1.1 Será admitida a inscrição somente via internet. A inscrição deverá será efetuada no site do Projeto www.projetosaudepoprua.org, no período de 06 a 19 de janeiro de 2020, observado o horário oficial de Brasília/DF. 

Item 7: DO CRONOGRAMA 

➢ Prazo limite para as inscrições: 19 de janeiro de 2020 ou até completar 30 (trinta) inscrições, conforme previsto no item 1.2 desta Seleção Simplificada). 

➢ Homologação das inscrições: 20 de janeiro de 2020. 

➢ Resultado final: 22 de janeiro de 2020. 

➢ Reunião: A confirmar. 

Os demais itens do Edital UnB/CEAM/NESTRA/OBSERVATÓRIO DA JUVENTUDE N°06/2019, para a seleção de mediadores/tutores, ao qual se refere à prorrogação deste aditivo, continuam inalterados. 

ACESSE AQUI

ADITIVO AO EDITAL UnB/CEAM/NESTRA/OBSERVATÓRIO DA JUVENTUDE N°05/2019. PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES PARA O CURSO DE EXTENSÃO DO PROJETO SAÚDE POP RUA.

O Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, torna pública a prorrogação das inscrições, no âmbito do Distrito Federal, para o Curso de Extensão – modalidade à distância, do Projeto de Capacitação para Profissionais da Saúde envolvidos com a População em Situação de Rua, com foco na População Negra – Saúde Pop Rua. 

ITENS RELATIVOS AO CURSO DE EXTENSÃO REVISTO NO EDITAL: 

Item 2: Inscrições 

2.1 Será admitida a inscrição somente via internet. A inscrição deverá será efetuada por meio de link disponibilizado na página https://projetosaudepoprua.org/, no período de 06 de janeiro a 31 de janeiro de 2020, observado o horário oficial de Brasília/DF. Sob hipótese alguma serão aceitas inscrições realizadas por quaisquer outros meios. 

Item 5: DO CRONOGRAMA 

➢ Prazo limite para as inscrições: 31 de janeiro, ou até completar 600 inscrições. 

➢ Homologação das inscrições: 04 de fevereiro de 2020. 

➢ Resultado final: 06 de fevereiro de 2020. 

➢ Início do curso: quanto aos procedimentos de matricula, data de inicio do curso, e outras informações os candidatos (as) selecionados (as) serão comunicados (as) através do e-mail informado no ato da inscrição. 

Os demais itens do Edital UnB/CEAM/NESTRA/OBSERVATÓRIO DA JUVENTUDE N°05/2019, para o Curso de Extensão, ao qual se refere a prorrogação deste aditivo, continuam inalterados.

ACESSE AQUI

EDITAL N° 01/2020 – PROCESSO SIMPLIFICADO PARA SELEÇÃO DE MEDIADORES/TUTORES, CADASTRO RESERVA, PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO PROJETO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE ENVOLVIDOS COM A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA, COM FOCO NA POPULAÇÃO NEGRA – Saúde Pop Rua.

O Núcleo de Estudos Estratégicos do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares e o Observatório da Juventude (NESTRA/CEAM), da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Ministério da Saúde, torna pública a abertura do processo seletivo simplificado, edital no 01/2020 da equipe (cadastro reserva) de mediadores/tutores para o curso de Especialização, para atuar no Projeto Saúde Pop Rua, na modalidade à distância, no âmbito do Distrito Federal. 

1. INSCRIÇÕES 

1.1 Será admitida a inscrição somente via internet. A inscrição deverá será efetuada no site do Projeto www.projetosaudepoprua.org, no período de 06 a 12 de janeiro de 2020, observado o horário oficial de Brasília/DF. 

1.2 Para o curso de especialização serão recebidas exclusivamente 15 (quinze) inscrições, conforme a ordem de submissão. Ao totalizar 15 (quinze) inscrições ou o prazo previsto para as inscrições (o que ocorrer primeiro) o sistema será automaticamente bloqueado. 

1.3 de inscrição e anexar, em campos específicos, os documentos exigidos em caráter obrigatório. 

1.4 Os dados informados no formulário de inscrição são de responsabilidade exclusiva do(a) candidato(a). 

1.5 Ao enviar os documentos para a inscrição, o (a) candidato(a) declara serem autênticos e verdadeiros, ciente das responsabilizações legais. 

1.6 Os documentos obrigatórios devem ser digitalizados em formato png, jpg ou jpeg. 

1.7 Serão aceitos, apenas, documentos no formato png, jpg ou jpeg. 

1.8 O Projeto Saúde Pop Rua não se responsabiliza por inscrições via internet não recebidas por qualquer motivo. 

1.9 A inscrição só está assegurada após a sua homologação. A homologação da 

regras da presente seleção. 

2. DAS DISPOSICÕES PRELIMINARES 

2.1 Cargo: Mediador/tutor. 

2.2 Vagas: 15 (quinze) vagas. 

2.3 Natureza da Contratação: Formação de cadastro reserva. 

2.4 Período de Contratação: As contratações serão realizadas, por módulo, conforme necessidade do Projeto. Cada módulo tem duração de 60 dias. 

2.5 Remuneração: R$ 1.200,00 (hum mil e duzentos reais bruto). 

3. DOS REQUISITOS BÁSICOS 

3.1 Profissional com nível superior completo, com mestrado ou cursando, nas áreas de saúde, assistência social e educação. 3.2 Experiência em mediação/tutoria em educação à distância e em utilização de ambientes virtuais de aprendizagem/plataforma Moodle. 3.3 Desejável ter conhecimento sobre a temática e/ou ter atuado em projetos vinculados à população em situação de rua e à população negra. 3.4 Comprovar vínculo com a UnB (aluno (a), professor (a) ou servidor (a) FUB). 3.5 Residir em Brasília. 

4. PROCESSO SELETIVO 

Será atribuída pontuação para cada critério selecionando, em ordem do maior para o menor, aqueles com maior pontuação total até o limite de vagas: 

4.1 Formação nas áreas de saúde, assistência social e educação – 4 pontos. 4.2 Formação em outras áreas – 3 pontos. 4.3 Experiência em mediação/tutoria em educação à distância e em utilização de ambientes virtuais de aprendizagem – 5 pontos. 4.4 Conhecimento sobre a temática e/ou ter atuado em projetos vinculados à população em situação de rua e à população negra – 1 ponto. 

5. DOS DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO 

Os documentos abaixo relacionados deverão ser, obrigatoriamente, carregados na página de inscrição, anexados nos campos destinados a cada um, de acordo com a seguinte ordem: 

• RG; 

• CPF; 

• Título de Eleitor; 

• Certidão Negativa emitida pelo site TSE, nos últimos 30 dias; 

• Certificado de reservista; 

• Comprovante de escolaridade; 

• Curriculum Vitae (preferencialmente Curriculum Lattes). 

5.1 Todos os documentos deverão ser submetidos em formato png, jpg ou jpeg, anexados nos campos destinados a cada um, sob pena de eliminação da seleção. 

6. CLÁUSULA DE RESERVA 

6.1 A Coordenação do Projeto Saúde Pop Rua, se reserva o direito de resolver os casos omissos e as situações não previstas na presente Seleção. 

7. DO CRONOGRAMA 

7.1 As datas listadas abaixo estão sujeitas a alteração, sendo de inteira responsabilidade do (a) candidato (a) acompanhar os eventos deste processo seletivo por meio do link disponibilizado no site www.projetosaudepoprua.org

• Publicação da Seleção: 03 de janeiro de 2020. 

• Início do período de inscrições: 06 de janeiro de 2020. 

• Prazo limite para as inscrições: 12 de janeiro, 15 (quinze) inscrições, conforme previsto no item 1.2 desta Seleção Simplificada. 

• Homologação das inscrições: 13 da janeiro de 2020. 

• Resultado final: 14 de janeiro de 2020. 

7.2 Os selecionados, de acordo com o resultado final publicado, terão uma reunião de trabalho no dia 15 de janeiro de 2020, no período da tarde, em local a ser informado via e-mail (que deverá estar atualizado no Curriculum Vitae anexado a lista de documentos). Presença obrigatória e eliminatória. 

8. ESCLARECIMENTOS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS 8.1

Os esclarecimentos e informações adicionais acerca do conteúdo desta Seleção somente serão obtidos por intermédio do e-mail: selecaopoprua@gmail.com.

Se Liga na Rua! – SEMANA XIV

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

2020 chegou e com ele trazemos mais uma edição do Se Liga na Rua!

Nesta edição, trazemos mais notícias que abordam a dificuldade para estimar o número da população em situação de rua no Brasil – destacando, novamente, a urgência de um novo censo que auxilie na análise e criação de políticas públicas mais eficientes -, além de verificar quais políticas têm sido propostas mundo afora.

Uma notícia publicada no portal da UOL verificou que, em 2019, apenas na cidade de São Paulo, cerca de 419 mil pessoas em situação de rua foram abordadas. Apesar da necessidade de tomar cuidado com esse dado, porque ele pode incluir pessoas que foram abordadas mais de uma vez, ele ressalta a urgência da elaboração de um novo censo que apure uma estimativa das pessoas em situação de rua no Brasil. Ainda de acordo com a notícia, outro termômetro que aponta para aumento da poprua rua é o CadÚnico (Cadastro Único da Assistência): em janeiro de 2014, 21 mil pessoas estavam cadastradas; já em outubro de 2020, este número foi para 134 mil. Ainda assim, apenas o CadÚnico não consegue funcionar com precisão para essa estimativa, pois o número de pessoas registradas não equivale a nem metade das pessoas em situação de rua no país. É necessário lembrar que este censo é fundamental no estabelecimento de acesso e ampliação das políticas públicas para poprua.
Para ler o artigo completo, acesse: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2019/12/30/moradores-de-rua-numero-aumento.htm?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral

Já em Nova York, o prefeito da cidade apresentou, no final do mês de dezembro, um plano para fornecer abrigo para todas as pessoas que vivem na rua, com camas temporárias e moradias permanentes. O objetivo do programa é que, até 2024, todas as 4.000 pessoas em situação de rua da cidade, além das 60.000 pessoas que habitam os abrigos, tenham moradia. Desde 2013, Nova York teve um aumento de cerca de 10.000 pessoas desabrigadas. Esse plano integra o programa municipal Home-Stat, lançado em 2016 para melhorar o atendimento da população em situação de rua na cidade.
Leia mais em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2019/12/17/interna_mundo,814864/nova-york-tenta-abrigar-toda-populacao-em-situacao-de-rua-ate-2024.shtml

Não é apenas os Estados Unidos que enxergam na moradia o primeiro caminho para assegurar condições mais dignas a população em situação de rua. O México também está se esforçando para implementar políticas mais eficientes para a poprua. Uma das alternativas que estão sendo testadas é a construção de um conjunto de casas impressas em 3D em uma área remota rural do país, através da organização filantrópica New Story. Duas casas já foram concluídas e estão em fase de teste. Elas foram projetadas por meio de uma impressora 3D chamada Vulcan II, que “utiliza uma mistura à base de cimento para erguer as paredes da casa e tem capacidade para construir uma única estrutura de até 2.000 metros quadrados”. As casas que estão sendo construídas terão cerca de 50 m2, compostas por sala, cozinha, banheiro e dois quartos, além de contar com resistência a desastres climáticos, tais como terremotos e inundações. As habitações serão destinadas a pessoas com necessidades extremas, e renda de até $76,50 por mês.
Acesse a notícia completa em: https://www.archdaily.com.br/br/930694/primeira-comunidade-de-casas-impressas-em-3d-para-desabrigados-esta-sendo-construida-no-mexico

Ficamos por aqui! Desejamos a todas e todos um 2020 com muitas realizações e muita mão na massa para aprender e agir mais, principalmente quando o assunto é população em situação de rua! Até breve!