Se Liga na Rua! – SEMANA #20

Autoras: Urânia Flores e Daniela Linkevicius

É hora de dar início a mais um Se Liga na Rua e ficar por dentro das discussões sobre a População em Situação de Rua…vem refletir um pouquinho com a gente!

Nesta semana, a pauta gira em torno da saúde e higiene das pessoas em situação de vulnerabilidade no Brasil, racismo, além de perceber o que está acontecendo ao redor do mundo – hoje, vamos entender o panorama que está se desenvolvendo em Paris.

Um relatório elaborado em dezembro de 2019 pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo, após visitas a abrigos para pessoas em situação de rua na capital paulista, revelou que tais moradias contam com problemas de superlotação, presença de pombas, falta de banheiros e lavanderias, percevejos em colchões, péssimo estado de conservação dos beliches, entre outros. Diante disso, o relatório cobra da Prefeitura medidas que envolvem o aumento efetivo de funcionários nestes locais e mais investimentos em medidas socioeducativas. Segundo matéria publicada na Isto É Dinheiro, o problema mais destacado no relatório certamente foi a quantidade de pessoas por serviço e quarto: alguns equipamentos chegam a ter 190 pessoas no mesmo quarto, enquanto outros complexos apresentam mais de 1000 pessoas, quando o limite máximo previsto pela Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais é de 50 pessoas por unidade e 4 pessoas por quarto.
Leia a matéria completa através do link: https://www.istoedinheiro.com.br/moradores-de-rua-de-sp-convivem-com-doencas-percevejos-e-superlotacao-em-abrigos/
Baixe o relatório aqui: https://www.saopaulo.sp.leg.br/wp-content/uploads/2019/12/Relat%C3%B3rio-Final-CDH-Visitas-a-Equipamentos-de-Acolhimento-para-a-PopRua.pdf

Vale a pena conferir o texto de Luanna Teofillo para site Efigenias. Nele, a autora defende a seguinte afirmação: “Nem comunismo nem capitalismo, o sistema econômico brasileiro é o Racismo Econômico”. O ponto de partida da autora é a pergunta de por quê o sistema econômico brasileiro não muda e continua a apresentar discriminação sistemática, ainda que a população negra tenha apresentado, nos últimos anos, poder de compra e transformação social. Para entender esse panorama, ela aborda o conceito de Racismo Econômico, por ela definido como “uma inversão dos valores capitalistas onde qualquer escolha racista se sobressai a uma escolha puramente capitalista. […] Note que os meios de produção pertencem a casta social dos brandos há quase 500 anos, causando subdesenvolvimento econômico para a população preta impedida por lei de ter propriedades por quase um século […]. Que capitalismo poderia ser este sem propriedade privada, livre iniciativa, livre mercado e consumidores? […] No Racismo Econômico, ganhar dinheiro é apenas um resultado de ser racista, sendo menos importante que este”.
Confira o texto na íntegra: http://www.efigenias.com.br/2018/12/o-racismo-economico.html?fbclid=IwAR3r5DXGkEdd4NlIcAKMdtDAw97IIs14Nrin_50UKRV3oYMpmO2sT5q4_0k

Já na França, a fundação Abbé-Pierre denunciou o agravamento da crise imobiliária no país. O assunto é um dos principais temas da campanha para eleições municipais em muitas cidades, começando com Paris. De acordo com a matéria publicada no site do jornal l’Opinion, há anos que o problema está sob o tapete, uma vez que os Sans-abri (“os desabrigados” – termo em francês, também utilizado para se referir a população em situação de rua), não são contados em nível nacional desde 2012. Para os franceses, essa pesquisa é difícil de realizar por várias razões. Dentre elas, o fato de que os Sans-abri vivem uma situação de invisibilidade para as autoridades e agências de ajuda. Além disso, o Instituto de Estatística antecipa uma dificuldade que surgiu com a crise migratória de 2015 – o questionamento de públicos que não falam francês e, portanto, não conseguiriam responder o questionário utilizado em uma investigação futura.
Acesse a matéria completa: https://www.lopinion.fr/edition/economie/abris-pauvrete-lacunes-statistiques-facheuses-210240

Ficamos por aqui. Como sempre, esperamos que vocês tenham gostado da seleção de notícias e textos dessa semana! Até breve!